Home - Anúncios - Contatos - Outros Blogs - Facebook - Circuito das Serras - Pousada Boa Vista - Nosso Shopping.com

09/12/2015

DERROTA DO PT - Planalto perde o líder do PMDB. O novo líder é ligado a Eduardo Cunha


Novo líder do PMDB diz que bancada decidirá se apoiará impeachment

Ele afirmou que vai defender, na tribuna, o que a maioria do partido quiser.
Leonardo Quintão foi escolhido para substituir Leonardo Picciani.


Escolhido para substituir o deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ) na liderança do PMDB, o deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) afirmou nesta quarta-feira (9) que o partido vai se posicionar sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff em votação da bancada na Câmara. Ele afirmou que vai defender, na tribuna da Casa, o que a maioria dos deputados decidir, por voto em reunião interna.

A postura difere da adotada por Picciani, que indicou para compor a comissão especial somente deputados que atuam em sintonia com o Palácio do Planalto, o que causou a revolta da ala do PMDB que defende o desembarque da legenda do governo Dilma.

Descontente com a aproximação de Picciani com a presidente, a maioria da bancada peemedebista decidiu indicar Quintão como novo representante. O documento pedindo a substituição foi protocolado no fim da manhã desta quarta com 35 assinaturas, o que representa mais da metade da bancada, que possui 66 deputados. A troca foi automática, já que todas as assinaturas foram validadas pela Câmara.

“Nós vamos conduzir a bancada na unidade. Toda a decisão partidária de um líder tem que mostrar a maioria do partido. Eu não tenho posição para lado A ou B. Irei tomar a decisão na tribuna da Câmara mediante a decisão da maioria do partido”, disse Quintão ao ser perguntado sobre a posição que adotará na tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma.

O novo líder do PMDB afirmou ainda que vai se reunir com o vice-presidente Michel Temer para anunciar pessoalmente que representará a bancada do partido na Casa. “Marquei com Michel Temer às 14h30. Vamos trabalhar em conjunto com o Senado e a Executiva Nacional do PMDB.”

Questionado se também “trabalhará em conjunto com Dilma”, Quintão respondeu: “O partido não trabalha com liderança alguma. É uma voz interna do partido. Caso ela me convide para conversar estarei à disposição. Mas qualquer decisão será tomada democraticamente”.

O deputado Osmar Terra (PMDB-RS), um dos peemedebistas que assinaram o documento de substituição de líder, disse que pesou na decisão o fato de Picciani ter indicado os nomes para a comissão especial sem consultar a bancada.

Ele também afirmou que o deputado do Rio de Janeiro não negociou com a bancada as indicações para os ministérios que Dilma ofereceu aos deputados peemedebistas.

“A decisão foi esdrúxula. Ele trouce que a presidente estava oferecendo três ministérios para o PMDB. Dez deputados disseram ter interesse e ele levou esses dez para a presidente. Ele e Dilma escolheram. Teve participação, eu acho, de um governador, mas não da bancada”, afirmou Osmar Terra. - Do G1.com

Justiça quebra sigilos de filho de Lula e do ex-ministro Gilberto Carvalho. Os dois são investigados na Operação Zelotes


Camila Bomfim Da TV Globo, em Brasília

A Justiça Federal aceitou pedido do Ministério Público Federal e autorizou quebrar os sigilos bancário e fiscal desde 2009 de pessoas e empresas investigados pela Operação Zelotes, incluindo o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho, do filho do ex-presidente Lula Luis Cláudio Lula da Silva e da empresa de Luís Cláudio, a LFT Marketing Esportivo. A decisão é do dia 20 de novembro.



A Operação Zelotes investiga fraudes em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda. Em etapa da operação deflagrada em outubro, a PF passou a investigar consórcio de empresas que, além das suspeitas de manipular julgamentos dentro do Carf, negociava incentivos fiscais a favor de empresas do setor de automóveis por meio da “compra” de medidas provisórias.

Em relação a Gilberto Carvalho, atual presidente do Conselho Nacional do Sesi, relatório da PF aponta um suposto "conluio" entre ele e lobistas suspeitos de pagar propinas para obter benefícios fiscais. A investigação da PF conseguiu documentos que indicam relação entre Carvalho e duas empresas. Em outubro, o ex-ministro negou ter obtido qualquer benefício quando estava no cargo. O G1 entrou em contato nesta quarta com a assessoria de imprensa do Conselho Nacional do Sesi e aguarda resposta.

No caso do filho de Lula, segundo as investigações, a LFT recebeu R$ 2,5 milhões em pagamentos do escritório Marcondes e Mautoni, investigado por ter atuado de forma supostamente ilegal pela aprovação da MP 471, que beneficiou o setor automotivo. O contrato foi para uma consultoria que, segundo relatório da Polícia Federal, foi em parte copiada e colada da internet.

Segundo o advogado do filho de Lula, Cristiano Zanin, em depoimento à PF no início de novembro, Luis Cláudio explicou que a LFT prestou serviços à Marcondes e Mautoni nos anos de 2014 e 2015 e, por este motivo, recebeu os valores que foram contratados. O G1 não conseguiu contato com Zanin até a última atualização desta reportagem.

Além das quebras de sigilo de Gilberto Carvalho, Luís Cláudio e da LFT, foi autorizada a quebra de sigilo de ao menos quatro empresas e de mais uma pessoa. Veja lista abaixo:

– Caoa Montadora de Veículos LTDA, investigada no inquérito sobre a suposta compra de medidas provisórias que prorrogaram benefícios a empresas do setor automotivo.

– CSH Pier 21 Comércio de Alimentos LTDA – EPP. Segundo a PF, a empresa é ligada à família de Lytha Spíndola, ex-assessora da Casa Civil que, segundo a denúncia do MPF, operou para que a Presidência não vetasse benefícios à MMC.

– COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA - EPP

– LBS Consultoria e Participações LTDA, empresa que funciona no mesmo endereço da LFT e da Touchdown, empresas de Luis Claudio Lula da Silva. Segundo a Justiça Federal, as empresas representam uma única entidade.

– Silva e Cassaro Corretora de Seguros LTDA, empresa que funciona no mesmo endereço da LFT e da Touchdown, empresas de Luis Claudio Lula da Silva. Segundo a Justiça Federal, as empresas representam uma única entidade.

– Ricardo Rett, diretor Jurídico da Marcondes e Mautoni. Segundo a PF, ele escreveu minutas de cartas que tinha como destinatário final o ex-presidente Lula. As minutas tratavam de pleitos da MMC (Mitsubishi no Brasil) e da Caoa sobre a prorrogação de incentivos fiscais.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 e a TV Globo tentavam contato com os investigados.

COMUNICADO - Vagas de estágio



O IEL – Instituto Euvaldo Lodi, órgão responsável pela intermediação de estágios,
comunica que estão abertas 3 (três) vagas de estágio para o Ensino Médio no
município de Portalegre/RN.

Para se inscrever o candidato deve atender aos seguintes requisitos:

 Possuir cadastro no endereço eletrônico: www.rn.iel.org.br;
 Cursar do 2º ao 3º ano do Ensino Médio;
 Ter disponibilidade nos horários das 07h00min às 13h00min;
 Possuir conhecimento básico em informática;
 Residir em Portalegre;
 Ter cordialidade.

Uma vez que atenda aos requisitos da vaga, o estudante deverá enviar o currículo
para o e-mail: mossoro@rn.iel.org.br com o título: Vaga Ensino Médio Portalegre.

Remuneração:

Bolsa Auxílio Mensal: R$ 150,00
Auxílio Transporte: R$ 50,00

Mais informações:

Eliane Oliveira
33514813/ 99780069

FIERN- Escritório de Pau dos Ferros

07/12/2015

Clístenes Carlos informa:

 MN Imóveis lança condomínio e loteamento Varandas das Serras em Portalegre/RN



O empresário Márcio Oliveira, diretor da MN Imóveis, e a esposa Roseane Maia, receberam no sábado, dia 05, vários convidados no restaurante Recanto Alta da Serra, em Portalegre, para brincar o sucesso do lançamento do condomínio e loteamento Varandas da Serra. 

O evento foi bastante prestigiado por empresários, políticos e imprensa que desfrutaram do clima agradável da serra, além da culinária impecável e o som do cantor Felipe Grillo.

Nós marcamos presença e fizemos a cobertura para o nosso blog www.clistenescarlos.com.br e também para nosso programa Interligados da TV Alto Oeste – www.tvaltoeste.com.br.







FIQUE POR DENTRO

@ - O prefeito de Portalegre, Neto da Emater e o vereador Afrânio Mesquita, marcaram presença e prestigiaram Márcio Oliveira no jantar em Portalegre.

@ - O jantar da MN Imóveis foi planejado e executado pela RP Mídia, empresa pauferrense tão bem administrada por Romero Souza, que estava no evento acompanhado da esposa Glécia Vidal.

@ - Em Portalegre o prazer de rever o querido amigo Edielson Soares e sua esposa Iraíldes Delfino, que tão bem nos receberam na Pousada Boa Vista. O presidente da CDL Edilton Honorato com a esposa Elisandra Souza, o colunista Apolion Rodrigues, o apresentador Tuca Viegas, o fotografo Célio Duarte, o empresário Vieira, entre outros.

Confira a cobertura completa clicando aqui!!!

Gravador de Delcídio pode ter revelações bombásticas



Ex-líder do PT, preso pela PF, teria diário com bastidores da CPI que investigou o mensalão

Brasília – As negociações com o Palácio do Planalto, com o Congresso e todos os detalhes dos bastidores da CPMI dos Correios, que investigou, entre 2005 e 2006, o esquema do mensalão e abateu a cúpula do PT, estão gravados num diário feito pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS), que tinha acesso a informações privilegiadas por ter presidido a comissão mista de inquérito. Nos 10 meses que duraram as investigações, o petista narrou para um gravador todos os detalhes das conversas que teve com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio da Alvorada, geralmente à noite, em dias que antecediam reuniões importantes da CPMI ou após depoimentos bombásticos.

Delcídio já relatou a algumas pessoas que o gravador está bem escondido e que as revelações só viriam à tona quando ele estivesse fora da vida pública ou mesmo após sua morte. A versão mais conhecida é de que enterrou na fazenda de sua mãe, no Pantanal. Mas há quem avalie que essa é apenas uma forma de dizer que o material está num local só conhecido por ele.

Nove anos após o encerramento da CPMI, Delcídio foi preso acusado de tentar obstruir a Operação Lava-Jato. Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, gravou e relatou a procuradores da República que o senador lhe ofereceu rotas de fuga e dinheiro para que seu pai poupasse ele e o banqueiro André Esteves numa possível delação premiada. Quem já ouviu falar na existência das gravações teme que o comportamento do PT faça com que Delcídio mude de ideia e decida tornar público o segredo que guarda há quase uma década.

PEDIDO NO STF

Na sede da superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal, onde está preso, Delcídio tem recebido a visita da mulher, dos advogados, de um ex-assessor e de políticos do seu estado. O tempo tem sido usado para pensar na sua defesa e também para rememorar os fatos que marcaram sua vida política, como a presidência da CPMI dos Correios. A defesa de Delcídio ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de revogação da prisão, que ainda não foi analisado. O petista está na superintendência da Polícia Federal no DF desde 25 de novembro, onde ocupa uma sala especial por estar no exercício do mandato parlamentar.

O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador João Alberto Souza (PMDB-MA), avaliou que o processo contra o senador Delcídio do Amaral só deverá ter um desfecho no colegiado no ano que vem. Presidente do conselho por quatro vezes, Souza afirmou que, em geral, um caso demora, em média, 60 dias para ser analisado. Os senadores da Rede e do PPS apresentaram no dia 1º uma representação ao conselho contra o senador petista para pedir a investigação por quebra de decoro parlamentar.


Para Dilma, não há motivo para desconfiar "nem um milímetro" de Temer.


Dilma defende que Congresso Nacional não entre em recesso

Ela também disse que não tem motivo para desconfiar de Michel Temer.
Dilma deu entrevista após reunião com juristas contrários ao impeachment.

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta segunda-feira (7), após se reunir com um grupo de juristas contrários ao impeachment, que o Congresso Nacional não deve entrar em recesso. O início da folga dos parlamentares está marcado para começar no dia 23 de dezembro. Eles retomariam os trabalhos em 2 de fevereiro. Segundo a presidente, o país não vive um momento para o recesso.

"Eu prefiro e acho que não deve haver recesso. Não podemos nos dar ao direito de parar o país até 2 de fevereiro. Acho justo parar nas festas. Agora, o Congresso pode funcionar em janeiro assim que passarem as festas. Aí retoma e julga as coisas pendentes. Não pode o país ficar em compasso de espera até 2 de fevereiro", afirmou a presidente.

Após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ter dado prosseguimento, na última semana, ao pedido de impeachment de Dilma, o trâmite começou a correr no Congresso.

Uma comissão especial na Câmara será instalada e deverá elaborar um parecer sobre o tema, que depois será analisado no plenário da Casa. Se for aprovado na Câmara, o impeachment deve ser votado no Senado.

Com o recesso parlamentar, os trâmites do processo obrigatoriamente se estenderiam para os primeiros meses de 2016, o que não é de interesse do governo.

"Eu acredito que, em situação de crise, como esta política e econômica pela qual o país passa, seria importante que o Congresso fosse convocado [para trabalhar nas férias]. Ele pode ser convocado por mim, pelos presidentes da Câmara e do Senado. Vou conversar com o presidente do Senado para ver como as coisas vão se dar", continuou Dilma.

A presidente falou também sobre os danos que, segundo ela, um processo de impeachment causaria à democracia do país. Na opinião de Dilma, a democracia no Brasil foi conquistada com luta "e até mortes", por isso deve ser defendida dentro da "legalidade".

"O Brasil conquistou de forma bastante lutada, com grandes sacrifícios de pessoas, inclusive com mortes, a democracia. Nós temos de fato uma democracia pujante. Daí a importância da preservação da legalidade. Só dentro da legalidade, nós, de fato unificaremos o país", afirmou a presidente.

Michel Temer

A presidente foi questionada por jornalistas sobre o grau de confiança que ela tem no vice, Michel Temer. Na sexta-feira (4), a notícia de que o ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil) deixará o governo gerou nos aliados do governo um alerta sobre a posição de Temer no processo de impeachment. Padilha é um dos ministros mais ligados ao vice.


"Eu prefiro ter a posição que sempre tive com relação ao Temer. Ele sempre foi extremamente correto comigo e tem sido assim. Não tem motivo para desconfiar dele nem um milímetro", afirmou a presidente. - 

Filipe Matoso Do G1, em Brasília

PMDB está dividido sobre o impeachment de Dilma, diz Padilha


Peemedebista deixou o governo oficialmente após entregar carta de demissão.

Segundo Padilha, Temer está 'recolhendo' posição majoritária do PMDB.

O ex-ministro da Aviação Civil Eliseu Padilha afirmou, durante entrevista nesta segunda-feira (7) na qual explicou os motivos que o levaram a deixar o cargo, que o PMDB, partido do qual faz parte, está "dividido" sobre o impeachemnt da presidente Dilma Rousseff.

Segundo Padilha, o vice-presidente da República, Michel Temer, que também é presidente do PMDB, está "recolhendo" a posição dos integrantes do partido para tomar uma posição sobre o tema em nome da legenda.

"Michel Temer é presidente do partido há mais de uma década e ser presidente do PMDB há mais de uma década é um negócio que não é muito fácil. [...] E se ele não tomou, até agora, nenhuma decisão, não fez manifestação nesse sentido, é porque está aferindo o que o partido dele, que tem toda essa segmentação, está pensando e querendo", disse Padilha.

"Não posso ter posição diferente da do presidente do partido. O PMDB é um partido que está dividido sobre a questão [do impeachment]. Temos que ver qual o segmento majoritário. O presidente Michel está fazendo essa aferição, ele está recolhendo [sentimentos] para ter posição como presidente do partido", complementou.

De acordo com o ex-ministro, o PMDB é um partido de "composição múltipla". Segundo Padilha, há três alas dentro da legenda: uma ala que defende o governo de forma "incondicional"; uma segunda ala que é "mais ou menos neutra"; e e terceira ala dentro do partido que "faz oposição".

"O Temer tem que ser tradutor da vontade do partido, sob pena de perder o controle do partido. Este é o momento que faz com que ele tenha momento de refletir, colher opiniões e depois expressar", explico Padilha.

Durante a entrevista, Padilha foi questionado por jornalistas sobre se, no caso de o PMDB optar por defender o impeachment de Dilma, ele seria um "articulador" dentro do partido, o ex-ministro negou.

"Não. Primeiro, não vamos racionar em 'se'. O presidente Michel já disse que ele não será articulador de impeachment. Portanto, não serei articulador de impeachment", observou o peemedebista.

"Se o partido tomar a decisão de sair [do governo], essa decisão possivelmente só poderá ser tomada em convenção nacional. Por óbvio que isso tem que ser tratado com o PT e a presidente. Mas prefiro nõo raciocinar sobre hipótese", afirmou.

Padilha também disse durante a entrevista que nem ele nem o vice Michel Temer serão "parceiros de golpe nenhum", ao ser questionado sobre se os dois estariam "conspirando" para tomar o poder.

"Quem conhece o presidente Michel Temer e quem me conhece sabe que conspiração não cabe. O presidente Michel Temer é um homem que é um democrata vocacionado à observancia da lei", enfatizou o peemedebista. - Laís Alegretti Do G1, em Brasília

06/12/2015

'Tropa de choque' de Cunha reúne deputados de cinco partidos



Deputado Paulo Pereira da Silva conversa com Eduardo Cunha na tribuna do plenário da Câmara (Foto: Luiz Macedo/Câmara dos Deputados)

Membros do PSC, Solidariedade e ala do PMDB tentam impedir cassação.
Eles conseguiram adiar duas vezes votação de parecer no Conselho de Ética.

No entra e sai diário do gabinete do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alguns rostos são vistos com enorme frequência – são os deputados que integram a chamada “tropa de choque” do peemedebista.

Sempre a postos para fazer uma defesa enfática do presidente da Câmara, deputados do PSC, Solidariedade, PTB, PSD e de ala do PMDB se revezam na tentativa de inviabilizar o andamento do processo que investiga Cunha por suposta quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética.

O líder do PSC, André Moura (SE), é um dos mais atuantes. Foi dele a questão de ordem que tentou anular a sessão do Conselho de Ética destinada à leitura do parecer do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) pela continuidade do processo do presidente da Câmara. Moura foi o pivô da troca de acusações entre Cunha e a presidente Dilma esta semana.

Segundo o peemedebista, Dilma chamou o deputado do PSC para propor que, em troca da aprovação da CPMF, o PT votasse pelo arquivamento do processo por quebra de decoro parlamentar. O governo nega essa versão e acusa Cunha de fazer “chantagem”.

Outro grande aliado do parlamentar do Rio de Janeiro é o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), que em nome da abertura do processo de impeachment de Dilma disse estar disposto a defender Eduardo Cunha com todos os meios possíveis no conselho. Ele se tornou, inclusive, membro titular do colegiado logo após a saída do colega de partido Wladimir Costa (SD-PA), depois de o processo de Cunha ser aberto.

“O Solidariedade entende que a única forma de ter o impeachment de Dilma é com o presidente Eduardo Cunha, então vamos defender Eduardo Cunha no Conselho de Ética”, já afirmou Paulinho da Força, como é conhecido. Outro deputado que demonstra disposição em atuar pela postergação do processo por quebra de decoro parlamentar é Sérgio Moraes (PSD-RS), que conseguiu paralisar por mais de duas horas a última reunião do colegiado ao acusar o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) de “furar a fila” na entrada do conselho.

Conheça os deputados que defendem Cunha:

Paulo Pereira da Silva (SD-SP)

Aliado declarado de Cunha, Paulinho da Força foi um dos articuladores da abertura de processo de impeachment da presidente Dilma. No dia da decisão, passou horas entrando e saindo do gabinete do presidente da Câmara. Ele contou ter dito a Cunha que o acolhimento do pedido de afastamento da presidente poderia render ao peemedebista votos favoráveis ao arquivamento do processo por quebra de decoro no Conselho de Ética.

"Nosso partido tem uma posição de defender o Eduardo. Queremos o impeachment da Dilma e achamos que é preciso manter o Eduardo para conseguir o impeachment", disse Paulinho quando foi indicado pela liderança do Solidariedade para integrar o conselho.

Manoel Junior (PMDB-PB)

Manoel Júnior trabalhou ativamente na campanha do colega de partido à presidência da Câmara. Ele é amigo de Cunha e, de acordo com reportagem da revista Época, cantou seis músicas em festa de aniversário de Cunha em Brasília. No Conselho de Ética, é um dos deputados mais atuantes na defesa de Cunha. Manoel Junior costuma apresentar reiterados questionamentos nas sessões do Conselho de Ética, como uma manobra para adiar ao máximo o andamento do processo.



Deputado Manoel Junior durante sessão na Câmara (Foto: Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados)

Felipe Bornier (PSD-RJ)

O deputado federal ocupa o cargo de segundo-secretário da Mesa Diretora da Câmara e teve um papel importante na articulação para atrapalhar os trabalhos do conselho. Em 19 de novembro, Cunha presidia uma sessão no plenário principal quando, momentaneamente, deu o lugar a Bornier. No comando da sessão, Bornier anulou a reunião do Conselho de Ética destinada à leitura do parecer prévio do relator Fausto Pinato pela continuidade do processo do peemedebista.



Deputado Felipe Bornier em sessão na Câmara (Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados)

A ação foi vista por deputados contrários a Cunha como uma tentativa de blindagem. Depois de muito bate-boca, o presidente da Câmara voltou atrás e anulou a suspensão da sessão do Conselho.

André Moura (PSC-SE)
André Moura vive no gabinete de Cunha e atuava como “emissário” do peemedebista em negociações com o Palácio do Planalto. No dia 11 de novembro, subiu ao palanque do plenário da Câmara para ler uma nota de apoio à permanência no cargo do presidente da Câmara. Também foi dele a questão de ordem que tentou anular a sessão do Conselho de Ética destinada à leitura do parecer do deputado Fausto Pinato (PRB-SP).



Deputado André Moura em conversa com Eduardo Cunha na tribuna do plenário (Foto: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados)

Moura também foi pivô da troca de acusações entre Cunha e Dilma esta semana. Segundo o peemedebista, Dilma chamou o deputado do PSC para propor que, em troca da aprovação da CPMF, o PT votasse pelo arquivamento do processo por quebra de decoro parlamentar. O governo nega essa versão e acusa Cunha de fazer “chantagem”.

Sérgio Morais (PTB-RS)

Atua em defesa de Eduardo Cunha no Conselho de Ética, tentando inviabilizar a votação do relatório que pede a continuidade das investigações do peemedebista. Na última sessão do colegiado, conseguiu paralisar por duas horas a reunião com uma discussão sobre o fato de o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) ter “furado fila” ao entrar no plenário para registrar presença.



Deputadp Sérgio Moraes (PTB-RS) (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)

No caso de ausência de um titular, pode votar um dos suplentes da comissão, pela ordem de chegada à reunião. Onyx é suplente no conselho e favorável à continuidade do processo de Cunha. Por isso, Sérgio Morais protestou dizendo que ele teria burlado uma “fila” informal de deputados na entrada do plenário.

Hugo Motta (PMDB-PB)

Homem-forte de Cunha na CPI da Petrobras, o deputado Hugo Motta foi escolhido para presidir o colegiado e capitaneou uma articulação com partidos de oposição que evitou a convocação de delatores que pudessem comprometer o presidente da Câmara. Deputados do PSOL e do PPS o acusaram de blindar Cunha.



Deputado Hugo Motta (PMDB-PB) durante sessão no plenário da Câmara (Foto: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados)

Outro ponto polêmico à frente da comissão parlamentar de inquérito foi a contratação, com o aval de Cunha, da empresa de investigação Kroll. Apenas Motta e André Moura, que também integrava o colegiado, sabiam quem eram os investigados e foram criticados mais uma vez por tentarem acobertar Cunha.

Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA)

Lúcio Vieira Lima é um dos líderes da ala do PMDB que defende o desembarque do partido do governo Dilma Rousseff. É um dos deputados mais próximos de Eduardo Cunha e foi um dos articuladores da abertura do processo de impeachment da presidente. Ele participou das consultas que Cunha fez aos líderes partidários sobre o tema e articulou o anúncio da decisão.



Deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) (Foto: Alexandra Martins)

Nathalia Passarinho e Fernanda Calgaro Do G1, em Brasília

03/12/2015

Abertura de impeachment pode pressionar inflação


Queda do dólar ante o real nesta quinta-feira pode não se sustentar, avalia Fipe (Mario Rodrigues/VEJA)

Abertura de impeachment pode pressionar inflação, diz Fipe

Produtos que são influenciados pelo câmbio podem ser afetados por incertezas geradas por abertura de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff
A abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff é um elemento adicional para a já pressionada inflação no próximo mês ou até mesmo para os meses seguintes, segundo o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), André Chagas. "É um componente de instabilidade que pode ter impactos em contratos ou em produtos que são influenciados pelo câmbio", analisou.

Apesar da queda do dólar ante o real nesta quinta-feira, o economista da Fipe acredita que este movimento pode não se sustentar. "Com isso, pode se gerar nova pressão em itens que até já estão pressionados", disse, ao citar como exemplo o açúcar, que subiu cerca de 13% na capital paulista. "Acho difícil o processo ser definido em dezembro, o que vai acabar gerando algum repasse de preço em alguma medida", completou.

Além disso, o economista da Fipe acredita que, além da inflação elevada em 2015, a abertura de impeachment elimina qualquer possibilidade de aumento nos preços dos combustíveis este ano. "No meio desse processo, imagino que o governo não vai querer criar ainda mais indisposição", avaliou. 

Veja

Dilma reúne Temer e ministros para responder a impeachment


Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Um dia após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitar pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, o Palácio do Planalto começou a se mobilizar logo cedo para reagir à iniciativa. Dilma chamou o vice-presidente, Michel Temer, e os ministros da Casa Civil, Jaques Wagner; da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva; da Justiça, José Eduardo Cardozo; e a da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, para uma reunião em seu gabinete.

Líderes de partidos da base aliada na Câmara também começam a chegar ao Palácio do Planalto para uma reunião com Berzoini, que acontecerá em seguida. O líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), disse que o partido foi “pego de surpresa” com a decisão de Cunha e que a legenda vai atuar “de acordo com a Constituição”.

"Não podemos, nós, o Congresso, e a sociedade brasileira não vai permitir, que nasça uma crise institucional. O momento é de muito equilíbrio, harmonia, para que a gente possa respeitar a Constituição e que a gente tenha a tranquilidade de fazer o nosso trabalho sem nenhuma influência que não seja o absoluto respeito à Constituição”, disse o líder ao chegar ao Planalto.

O PSD poderá indicar quatro deputados para a Comissão Especial que vai analisar o processo de impeachment. A comissão terá 66 parlamentares, com representação de todos os partidos, e será instalada na próxima segunda-feira (7).

Ontem (2), após o anúncio de Cunha, Dilma fez um pronunciamento rápido em que disse ter recebido a notícia com indignação. Segundo a presidenta, as acusações contra ela são “inconsequentes e inconsistentes”, motivadas por ataques pessoais. “Não paira contra mim nenhuma suspeita de desvio de dinheiro público. Não possuo conta no exterior. Nunca coagi e nem tentei coagir instituições em busca de satisfazer os meus interesses”, afirmou.

Agência Brasil

01/12/2015

Ministra do STF rejeita habeas corpus e mantém Delcídio preso


A bancada do senador Delcídio do Amaral vazia, no plenário do Senado, em Brasília (DF)(Antônio Cruz/Agência Brasil)

Senador continuará na cadeia, para onde foi levado na quarta-feira da semana passada por suspeita de tentar impedir as investigações da Lava Jato

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou habeas corpus em favor do senador e ex-líder do governo Dilma, Delcídio do Amaral (PT-MS), que pedia a revogação da prisão do congressista. A ministra sequer analisou o mérito do pedido apresentado à Corte e não aceitou o habeas corpus por questões processuais: a falta de documentação mínima no pedido, como o decreto de prisão contra o senador, e porque ele foi apresentado por uma pessoa que não integra a defesa de Delcídio.

Delcídio foi preso na última quarta-feira por suspeitas de atuar para impedir as investigações da Operação Lava Jato e para barrar o acordo de delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Cerveró foi apadrinhado por Delcídio no cargo de direção da petroleira e ameaçava contar detalhes do esquema de corrupção instalada na estatal.

Gravações feitas pelo filho de Cerveró, Bernardo, mostram Delcídio negociando o pagamento de 50.000 reais mensais à família do ex-dirigente e até a fuga do ex-diretor para fora do país. Paralelamente, investigadores atribuem ao banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, o papel de bancar a mesada à família de Cerveró e pagar outros 4 milhões de reais ao advogado Edson Ribeiro, que atuava na defesa do ex-diretor e trabalhava para impedir a delação premiada.

Delcídio, Esteves e Ribeiro foram presos por ordem do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. A decisão individual do ministro foi confirmada por unanimidade pela 2ª Turma do STF.

Nas investigações, o nome de Delcídio Amaral foi citado pelo delator Fernando Baiano, que afirmou à força-tarefa da Lava Jato que o líder do governo teria recebido até 1,5 milhão de dólares em propina na negociação da refinaria de Pasadena, no Texas. O dinheiro sujo teria sido utilizado na campanha de Delcídio ao governo do Mato Grosso do Sul, em 2006.

Citações contra o líder do governo já haviam sido feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, mas o procurador-geral da República Rodrigo Janot não viu indícios suficientes para pedir a abertura de investigação contra o parlamentar. Depois das novas revelações, Janot solicitou a abertura de pelo menos dois novos inquéritos para apurar o envolvimento do senador no escândalo do petrolão. Um dos pedidos já foi aceito pelo relator da Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki.

-  Por: Laryssa Borges, de Brasília

Comissão do Orçamento aprova texto que prevê CPMF em 2016


Estimativa anterior do governo era de que o tributo tivesse tramitação mais rápida e gerasse receitas de cerca de R$ 32 bilhões de reais no ano que vem(Beatriz Albuquerque/VEJA)

Destaque aprovado nesta tarde considera arrecadação de 12,7 bilhões de reais com a volta do "imposto do cheque"; governo queria 32,2 bilhões de reais

A Comissão Mista do Orçamento (CMO) aprovou nesta terça-feira o destaque que inclui nas receitas do Orçamento de 2016 a previsão de arrecadação de 12,7 bilhões de reais com a CPMF no próximo ano. O texto, apresentado pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS), considera a aprovação do "imposto do cheque" em definitivo até junho e sua aplicação a partir de setembro. O imposto ainda precisa ser recriado pelo Congresso Nacional.

A estimativa do governo era de que o tributo tivesse tramitação mais rápida e gerasse receitas de cerca de 32 bilhões de reais no ano que vem. Assim, a decisão da CMO pode ser mais um obstáculo para o Executivo tentar registrar superávit primário no próximo ano, a fim de buscar colocar as contas públicas do país em ordem.

A recriação da CPMF, que incidirá sobre operações financeiras, é bastante polêmica e tem sido criticada por muitos parlamentares, inclusive da base aliada. O cenário de recessão econômica e de inflação e desemprego elevados dificultam sua aprovação.

Mais cedo nesta terça, o governo tinha encaminhado ao relator das receitas de 2016, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), ofício solicitando que incluísse em seu relatório a previsão de arrecadação de 32,24 bilhões de reais com a CPMF, levando em conta o cenário de que a volta do tributo fosse aprovada neste mês, começando a valer a partir de abril de 2016. O pedido não foi aceito e, assim, a recriação da CPMF foi votada por meio de destaque, mas com menor previsão de receita.

A eventual recriação da CPMF terá um processo longo, passando pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) até chegar no plenário do Congresso.

Após a votação sobre as receitas, o Orçamento do próximo ano ainda terá outras etapas, como apresentação do relatório geral -- cuja relatoria está com o deputado Ricardo Barros (PP-PR) -- até chegar ao plenário do Congresso. Ou seja, a previsão de receitas com a CPMF pode ser derrubada ainda durante esse caminho.

O governo quer que o setor público consolidado (governo central, Estados, municípios e estatais) alcance superávit primário de 43,8 bilhões de reais no ano que vem, montante equivalente a 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), conforme definido no texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada na CMO. Desse total, 34,4 bilhões de reais viriam do governo central (governo federal, Banco Central e INSS) e 9,4 bilhões de reais dos Estados e municípios.

O país vive uma das piores recessões em décadas, tendo fechado o terceiro trimestre com o PIB encolhendo 1,7% em comparação com os três meses anteriores, sem sinal de recuperação em breve, o que acaba afetando a arrecadação e, consequentemente, as contas públicas.

A sessão da CMO nesta terça foi encerrada sem que outros destaques das receitas de 2016 fossem votados. Novo encontro dos parlamentares na comissão deve ocorrer nesta quarta-feira, a partir das 13h - Fonte: Veja

30/11/2015

Lideranças do Alto Oeste reivindicam ações para incremento do turismo na região



A região Oeste quer mais visibilidade e aumentar a geração de emprego e renda para a população através do turismo sustentável, aproveitando o potencial de seus municípios. Esta reivindicação foi externada por prefeitos e vereadores da região na audiência pública realizada na manhã desta segunda-feira (30), na Assembleia Legislativa, uma iniciativa do deputado Carlos Augusto Maia (PTdoB).

“Vivemos um dos piores períodos de estiagem e temos procurado trabalhar soluções efetivas na assistência aos produtores rurais e às populações que sofrem com a falta de água. Mas há outra frente em que devemos trabalhar também com todo afinco, numa missão igualmente imposta pela realidade da seca, que é a busca por alternativas econômicas para o sertão, a fim de que possamos valorizar mais nossas riquezas e gerar emprego e renda e o turismo pode ser esse caminho”, afirmou Carlos Augusto.

Na audiência pública foi apresentado o projeto Circuito das Serras, iniciativa do professor Gilton Sampaio, que reúne empresários, comerciantes e pessoas dos mais diversos setores, que estão voluntariamente trabalhando para expandir o turismo no interior, principalmente na região serrana. O projeto já tem várias ações e se materializará em forma de livro, a ser lançado em breve, com ampla cobertura fotográfica e descrição de todos os atrativos, contemplando as potencialidades dos municípios. Será um verdadeiro tratado dos potenciais turísticos em todas as suas vertentes: turismo religioso, de aventuras, cultural, ecológico, entre outros. Além do propositor, o debate contou com a presença da bancada de deputados que representam a região: Galeno Torquato (PSD), Getúlio Rêgo (DEM), Gustavo Fernandes (PMDB) e Raimundo Fernandes (PROS). O deputado Ricardo Motta (PROS) também também esteve presente ao debate.

Foram vários os encaminhamentos do debate. A primeira sugestão, dos deputados Getúlio Rêgo e Raimundo Fernandes, é uma audiência para breve, reunindo prefeitos e deputados com o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB). Os prefeitos também querem mais investimentos na melhoria das estradas e da segurança. Foram citadas especificamente as estradas de Venha Ver e Luís Gomes. Outra cobrança é que o Governo do Estado, através da Fundação José Augusto (FJA), elabore um guia turístico de boa qualidade em parceria com a equipe do Circuito das Serras.

Foi consenso entre os participantes a necessidade da Secretaria de Turismo do RN elaborar a sinalização do roteiro e a definição, por parte das prefeituras, da relação com todos os prédios a serem tombados, para que as próximas gerações tenham oportunidade de conhecer estas riquezas arquitetônicas. Os prefeitos reivindicaram ao Sistema S (Sesc, Senac, Sesi e Senai) um planejamento anual de cursos e assessoramento para capacitação da mão de obra local.

Ex-prefeito de São Miguel, o deputado Galeno Torquato ressaltou as potencialidades da região em relação ao turismo em suas mais variadas vertentes. Segundo Galeno, o turismo pode se configurar numa importante fonte de geração de renda e empregos para a localidade. “Precisamos consolidar a parceria entre os municípios e buscar dotar essas cidades de infraestrutura adequada e, sobretudo, de divulgação. O Rio Grande do Norte não se resume ao turismo litorâneo. Temos pelos menos 43 municípios que cortam aquela região, cada um com sua potencialidade, que precisa ser conhecida não só pelos próprios potiguares, mas pelos turistas de outras localidades”, comentou Galeno Torquato.

Incentivo ao Turismo

Autor da Lei do Turismo, que cria um fundo especial para esta atividade, Gustavo Fernandes disse que a legislação vai permitir uma divulgação maior do Rio Grande do Norte em feiras e eventos. Gustavo destacou a expectativa em torno do teleférico, obra que necessita de recursos e vai beneficiar não só Martins, mas a região de uma forma geral. “Martins tem quase 700 leitos e belezas naturais que fazem girar a economia da região de uma forma geral. É importante esta luta em torno do teleférico”, afirmou Gustavo.

O deputado Getúlio Rêgo disse que é importante aproveitar o momento em que o Estado conta com um ministro do Turismo: “O momento é extremamente favorável e devemos levar adiante esta audiência. Temos clima, gastronomia, hospitalidade, mas precisamos urgentemente melhorar nossas estradas, que estão esburacadas”, afirmou. O deputado Raimundo Fernandes ressaltou as qualidades dos municípios: “Quem visita Venha Ver, Luís Gomes ou Major Sales, por exemplo, quer visitar novamente. Outros querem até ir morar. Quem vai a Portalegre não se esquece do seu povo”, destacou Raimundo.

A Subsecretária de Turismo, Solange Portela, prestou contas das ações que o Governo do Estado está realizando em favor do turismo. Solange garantiu que está sendo feito um novo mapeamento das regiões, para reparar um equívoco em que a região Oeste não era mencionada. “Também estamos fazendo a elaboração do instrumento de planejamento aqui da região, dentro do programa de regionalização do Ministério do Turismo”, afirmou.

Vice-presidente da Emprotur, Haroldo Azevedo Filho afirmou: “É preciso dar esse start que o interior precisa. Não é porque existe crise que vamos cruzar os braços. Nas inúmeras feiras que participamos mostramos que aqui não existe somente sol e mar, mas também a paisagem do interior”, disse Haroldo.

Os prefeitos de Riacho da Cruz, Bernadete Rêgo (PMDB), de Luís Gomes, Mariana Fernandes (PMDB), Portalegre, Manoel de Freitas Neto (PP), José da Penha, Antônio Dólar (PMN); Venha Ver, Expedito Salviano (PR) e Major Sales, Thales Fernandes (PMDB) se pronunciaram representando os municípios e reivindicaram ações efetivas.


- Fonte: http://www.al.rn.gov.br/portal/noticias/5451/lideranas-do-alto-oeste-reivindicam-aes-para-incremento-do-turismo-na-regio

28/11/2015

Dono da Multiplan: O que inibe hoje o investimento? Não é o consumo. É a falta de confiança no governo


MOTIVAÇÃO - Peres, da Multiplan: “Eu podia estar lá no meu iate, eu estou aqui trabalhando. Por quê? Porque o que move o empresário não é só o dinheiro. É o desafio”(Gilvan Barreto/VEJA)

José Isaac Peres, há quatro décadas no mercado de shoppings, afirma que possui projetos prontos para expandir os seus negócios, mas os milhões de reais em investimentos foram paralisados pela indefinição político-econômica

Há quatro décadas no mercado de shoppings, José Isaac Peres é o pai do MorumbiShopping, do BarraShopping e do BH Shopping, entre outros dos maiores centros de consumo brasileiros. A Multiplan, sua empresa, possui participação em um total de dezoito shoppings, que abrigam 5 400 lojas e recebem, anualmente, 180 milhões de pessoas. Peres afirma que possui projetos prontos para expandir os seus negócios, mas os milhões de reais em investimentos foram paralisados pela indefinição político-econômica. Ele recebeu VEJA para uma conversa, na qual se queixou de que nossos vizinhos estão arrumando a casa antes do Brasil, disse que a atual taxa de juros "existe para você não fazer nada" e que o país precisa abandonar o protecionismo e estimular os empresários a investir.

EFEITO DA CRISE

Nunca tinha passado por uma crise tão séria, apesar de ser empresário há mais de cinquenta anos. O que inibe hoje o investimento?

Não é o consumo. É a falta de confiança no governo. As pessoas, para investir, precisam ver uma linha de condução, e essa linha não está definida. Há um conflito entre o Congresso e o Executivo, uma guerrilha fratricida que não ajuda o país, é um querendo destruir o outro. O cenário é o pior possível. Não obstante, existe uma parte da população que não está no Congresso nem no governo: está nas ruas, está trabalhando, está produzindo. É o sujeito que acredita, é aquele que sonha. Felizmente, não existe ainda um decreto impedindo o homem de sonhar.

CONFIANÇA

A coisa mais importante que existe na vida de uma empresa é credibilidade e confiança. Trata-se de um ativo invisível, mas que tem um valor gigantesco. Quando um leão percebe que naquela selva não há mais água, não há outros animais, o que ele faz?

Ele migra, ele vai buscar outro lugar para sobreviver. Com o empresário é a mesma coisa. Ele passa a pensar em investir em outros países, porque neste momento no Brasil não dá para investir. É lamentável que, com tanta coisa para fazer aqui, a gente tenha de começar a olhar para o exterior.

INVESTIMENTO NO EXTERIOR

Adiamos planos de investir no exterior porque ainda há muito para fazer no Brasil. Agora, entretanto, estamos olhando de novo, muito mais objetivamente. Temos know-how, competência etc. O que prejudica o empresário brasileiro é toda a infraestrutura para se lançar no exterior, uma burocracia tremenda. Talvez compremos uma empresa lá fora, talvez seja mais fácil começar assim. Temos captação fácil no exterior, somos grau de investimento. Então podemos chegar lá fora e dizer: "Eu quero fazer aqui um empreendimento e preciso de crédito". E logicamente temos garantias para dar no Brasil. Acho que a maneira correta para nós é comprar uma empresa menor, com um sócio local, que já esteja operando. Você tem de caçar um leão, nem que ele seja um filhote. Não existe negócio sem empresário. Não adianta comprar uma empresa lá fora, mandar só executivos para lá, porque os executivos são ótimos, mas eles não resolvem. Devemos tomar uma decisão sobre esse investimento no próximo ano.

MERCADO AMERICANO

Existem shoppings demais nos Estados Unidos. A gente poderia eventualmente comprar um, mas de que adianta comprar um para competir com um cara que tem uma rede de 400? É a mesma coisa que você ser varejista e abrir uma lojinha para competir com outra loja que vende o mesmo produto mas está em 400 pontos. Muito difícil, né? Agora, na América Latina, acho que há espaço. Estou olhando principalmente a Argentina, que me parece estar tomando um novo curso. Se realmente houver mudanças, porque o populismo deu no que deu, o país poderá vir a ser um parceiro ótimo. Parece que o povo argentino acordou de um pesadelo e está votando certo, em quem prestigia a economia de mercado, em quem quer estar no eixo das grandes nações. Não adianta a gente ficar aqui associado à Venezuela, à Bolívia, ao Equador, que isso não vai levar a gente a lugar nenhum. Esses países não podem nos dar nada, não ganhamos nada com isso, não aprendemos nada com eles. Dizer que a gente vende lá meia dúzia de coisas é ridículo.

- Por: Geraldo Samor
http://veja.abril.com.br/noticia/economia/dono-da-multiplan-o-que-inibe-hoje-o-investimento-nao-e-o-consumo-e-a-falta-de-confianca-no-governo

26/11/2015

A nota oficial do PT sobre a prisão de Delcídio Amaral


O senador Delcídio Amaral (divulgação)

Partido dos Trabalhadores nega solidariedade ao senador Delcídio Amaral em nota oficial assinada pelo presidente da sigla, Rui Falcão. Confira a íntegra


Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira (25), o presidente nacional do PT, Rui Falcão, nega solidariedade ao senador Delcídio do Amaral (MS), preso na manhã de hoje.

O petista foi preso sob a acusação de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. Confira aqui o áudio que o ministro do STF Teori Zavascki usou para justificar a prisão de Delcídio.

Delcídio Amaral foi filiado ao PSDB entre 1998 e 2001. Durante o segundo governo de Fernando Henrique Cardoso, dirigiu o setor de Gás e Energia da Petrobrás, quando trabalhou com Nestor Cerveró e Paulo Roberto Costa, dois dos delatores da Operação Lava Jato. Cerveró era o segundo homem na hierarquia da direção de Gás e Energia, atrás apenas de Delcídio.

Em 2001 migra do PSDB para o PT e é eleito senador pelo partido em 2002.

Veja a íntegra da nota lançada pelo PT nesta quarta-feira sobre a prisão de Delcídio:

NOTA OFICIAL DO PT

O presidente Nacional do PT, perplexo com os fatos que ensejaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de ordenar a prisão do Senador Delcídio do Amaral, tem a dizer o seguinte:

1- Nenhuma das tratativas atribuídas ao senador tem qualquer relação com sua atividade partidária, seja como parlamentar ou como simples filiado;

2- Por isso mesmo, o PT não se julga obrigado a qualquer gesto de solidariedade;

3- A presidência do PT convocará, em curto espaço de tempo, reunião da Comissão Executiva Nacional para adotar medidas que a direção partidária julgar cabíveis.

Brasília, 25 de novembro de 2015.

Rui Falcão

Presidente Nacional do PT



O PSOL também publicou uma nota para tratar do episódio. Leia abaixo:

NOTA OFICIAL DO PSOL

As prisões do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo no Senado, e do banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, baseiam-se na gravíssima acusação de que agiram para interferir nas investigações da Lava Jato. Trata-se de um escândalo nacional que deve ser apurado e investigado até as últimas consequências, respeitadas as garantias constitucionais.

A denúncia, lastreada em gravações apresentadas pelo relator dos processos da Lava Jato no STF, Teori Zvascki, revelou que o senador Delcídio, em conluio com o banqueiro Esteves, teria oferecido o pagamento de uma mesada de R$ 50 mil e um plano de fuga do país para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró; tudo para que este não fechasse acordo de delação premiada. O fato é tão grave que, pela primeira vez na história do país, resultou na prisão de um senador em pleno exercício do mandato.

Apoiamos o aprofundamento das investigações, na expectativa de que sejam levadas até o fim, sem qualquer diferenciação entre os acusados, tendo prerrogativa de foro ou não.

Bancada do PSOL na Câmara dos Deputados

Chico Alencar (Líder)
Jean Wyllys (Vice-Líder)
Edmilson Rodrigues
Glauber Braga
Ivan Valente

Brasília, 25 de novembro de 2015.

25/11/2015

PRISÃO DO LÍDER - Dilma fecha evento que seria aberto no Palácio do Planalto



No dia da prisão do líder do governo, Dilma fecha evento que seria aberto
Presidente recebeu seleção feminina de handebol em seu gabinete.

Líder do governo no Senado foi preso pela PF na Operação Lava Jato.

No mesmo dia em que o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), foi preso pela Polícia Federal, a presidente Dilma Rousseff decidiu nesta quarta-feira (25) fechar um evento que seria aberto no Palácio do Planalto. Ela recebeu a seleção feminina de handebol no fim da manhã e o Salão Nobre do palácio, no qual a imprensa e convidados têm acesso, havia sido preparado para a cerimônia.

Cerca de uma hora e meia antes do evento, porém, a assessoria da Presidência informou que o evento passaria a ocorrer no gabinete de Dilma e somente cinegrafistas e fotógrafos seriam liberados para fazer breves imagens, sem a presença de repórteres.

Delcídio do Amaral foi preso pela PF no início da manhã em um hotel de Brasília, segundo os investigadores da Operação Lava Jato, por estar atrapalhando apurações. Segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, a Procuradoria-Geral da República afirmou, em documento enviado à corte, que o parlamentar ofereceu R$ 50 mil mensais ao ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró para que ele não fechasse acordo de delação premiada ou, se o fizesse, não citasse o parlamentar.

Geralmente, os encontros de Dilma com atletas ocorrem no Salão Nobre do Palácio do Planalto, são acompanhados por jornalistas, convidados, parlamentares e ministros. Nesses eventos, a presidente e algum ministro discursam. Ela também posa para fotos com os jogadores e, algumas vezes, costuma dar declarações à imprensa e responder a perguntas de jornalistas.

A última que a presidente recebeu atletas no Planalto foi há cerca de um mês. Na ocasião, ela se encontrou com a delegação brasileira que disputou os Jogos Mundiais Militares em Seul (Coreia do Sul) e discursou por cerca de cinco minutos.

Além disso, ela ofereceu, em 15 de outubro, almoço aos atletas que vão disputar o vôlei de praia nas Olimpíadas do Rio em 2016 e, em agosto, ela recebeu no Planalto a delegação brasileira que participou dos Jogos Pan-Americanos e Jogos Parapan-Americanos de Toronto (Canadá). - Filipe Matoso Do G1, em Brasília

Líder do governo no Senado foi preso pela PF nesta quarta em Brasília.


Delcídio ofereceu R$ 50 mil mensais por silêncio de Cerveró, diz PGR

Segundo investigadores, senador do PT estaria atrapalhando a Lava Jato. 
Também foi preso o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual.

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (25) o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo no Senado. Segundo investigadores, o senador foi preso por estar atrapalhando apurações da Operação Lava Jato.

Também foram presos pela PF nesta manhã o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual e o chefe de gabiente de Delcídio, Diogo Ferreira.

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem informou que o advogado Édson Ribeiro, que defendeu o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, havia sido preso. Segundo informações da Polícia Federal, há um mandado de prisão expedido que não foi cumprido porque ele está nos Estados Unidos. Como não pode ser preso lá, a PF pediu a inclusão do nome do advogado no chamado "alerta vermelho" da Interpol. A inclusão depende de autorização do STF. A informação foi corrigida às 10h09)

A prisão de Esteves está ligada a inquéritos no âmbito da Lava Jato que tramitam no STF. Em nota, o BTG Pactual informou que "está à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários e vai colaborar com as investigações.”

As prisões foram um pedido da Procuradoria-Geral da República e autorizadas peloSupremo Tribunal Federal (STF). As prisões de Delcídio e de Ribeiro são preventivas, que é quando não há data determinada para terminar. As demais são temporárias, com data de término.

Delcídio foi preso por tentar dificultar a delação premiada de Cerveró sobre uma suposta participação do senador em irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Segundo investigadores, Delcídio chegou até a oferecer fuga a Cerveró, para que o ex-diretor não fizesse a delação premiada, o que reforçou para as autoridades a tentativa do petista de obstruir a Justiça.

A prova da tentativa de obstrução é uma gravação feita pelo filho de Cerveró que mostra a tentativa do senador de atrapalhar as investigações e de oferecer fuga para o ex-diretor não fazer a delação.

A assessoria do senador informou que o advogado dele, Maurício Leite, recebeu uma ligação do Delcídio e embarcou de São Paulo para Brasília para acompanhar o caso.

O senador foi preso no hotel onde mora em Brasília, o mesmo em que estava hospedado o pecuarista e empesário José Carlos Bumlai quando foi preso nesta terça-feira (24). Depois ele foi levado para a superintendência da PF em Brasília. Ele começou a prestar depoimento logo depois de chegar ao local. Segundo a PF, Delcidio vai ficar numa cela de 20 m², com banheiro, a mesma em que ficou o ex-governador do DF José Roberto Arruda quando foi preso, em 2010.

Também foram realizadas buscas e apreensões no gabiente de Delcídio, no Congresso, e na casa dele, em Campo Grande (MS).

A Constituição diz que membros do Congresso não poderão ser presos, "salvo em flagrante de crime inafiançável. Nesse caso, os autos serão remetidos dentro de vinte e quatro horas à Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus membros, resolva sobre a prisão".

Ainda na manhã desta quarta, uma sessão extraordinária na Segunda Turma do STF deverá analisar os mandados de prisão, informou o ministro Gilmar ao chegar ao tribunal.

Histórico
O líder do governo foi citado na Lava Jato na delação do lobista conhecido como Fernando Baiano. No depoimento, Baiano disse que Delcídio recebeu US$ 1,5 milhão de dólares de propina pela compra da refinaria.

Em outubro, Delcídio havia negado o teor da denúncia de Baiano e disse que a citação a seu nome era "lamentável".

Delcídio também foi citado em outro contrato da Petrobras, que trata do aluguel de navios-sonda para a estatal. Segundo Baiano, houve um acordo entre Delcídio, o atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e o ex-ministro Silas Rondeau, também filiado ao PMDB, para dividir entre si suborno de US$ 6 milhões.

O líder do governo havia classificado a denúncia de uma "coisa curiosa" que não tem lógica. 

-  Camila Bomfim Da TV Globo, em Brasília


Dinheiro era para Cerveró não fazer delação ou, se fizesse, não citá-lo.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki informou nesta quarta-feira (25) que a Procuradoria-Geral da República afirmou, em documento enviado à corte, que o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), ofereceu R$ 50 mil mensais ao ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró para que ele não fechasse acordo de delação premiada ou, se o fizesse, não citar o parlamentar.

Delcídio foi preso na manhã desta quarta em Brasília pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato, segundo os investigadores, por estar atrapalhando apurações. Além dele, também foram presos pela PF o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, e o chefe de gabiente de Delcídio, Diogo Ferreira. Há também mandado de prisão do advogado Édson Ribeiro, que defendeu Cerveró - a PF pediu ao STF a inclusão do nome dele no alerta vermelho da Interpol.

Segundo a PGR, Delcídio também prometeu a Cerveró influir em julgamentos no STF para ajudá-lo. O senador disse que falaria com o vice-presidente da República, Michel Temer, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) para influenciar a Corte.

Procurada, a assessoria do senador informou que o advogado dele, Maurício Leite, recebeu uma ligação do Delcídio e embarcou de São Paulo para Brasília para acompanhar o caso. OG1 também procurou a Presidência da República, e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

Por meio de nota, o BTG Pactual disse estar "à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários e vai colaborar com as investigações."

Rota de fuga

Segundo Zavascki, o relatório da PGR afirma que os valores prometidos a Cerveró seriam repassados à sua família por meio de um contrato fictício entre o advogado Edson Ribeiro e o BTG Pactual, do banqueiro André Esteves, que também foram presos na manhã desta quarta.

Conforme o documento da PGR enviado à Suprema Corte, há gravação na qual Delcídio do Amaral discutiu meios de rota para nestor Cerveró deixar o país, em caso de o STF conceder habeas corpus.

Ainda de acordo com Zavascki, a procuradoria diz que o Paraguai seria essa rota de fuga proposta por Delcídio para o ex-diretor da Petrobras chegar à Espanha.

Histórico

O líder do governo foi citado na Lava Jato na delação do lobista conhecido como Fernando Baiano. No depoimento, Baiano disse que Delcídio recebeu US$ 1,5 milhão de dólares de propina pela compra da refinaria.

Em outubro, Delcídio havia negado o teor da denúncia de Baiano e disse que a citação a seu nome era "lamentável".

Delcídio também foi citado em outro contrato da Petrobras, que trata do aluguel de navios-sonda para a estatal. Segundo Baiano, houve um acordo entre Delcídio, o atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e o ex-ministro Silas Rondeau, também filiado ao PMDB, para dividir entre si suborno de US$ 6 milhões.

O líder do governo havia classificado a denúncia de uma "coisa curiosa" que não tem lógica. - Renan Ramalho e Mariana Oliveira Do G1, em Brasília

24/11/2015

Vice-prefeito é morto após ser mantido refém na prefeitura de Choró



Sidney Cavalcante, vice-prefeito de Choró, é mantido refém em prédio da prefeitura (Foto: Reprodução/Facebook) - Do G1 CE, com informações da TV Verdes Mares

O vice-prefeito do município de Choró, a 155 quilômetros de Fortaleza, Sidney Cavalcante, foi assassinado a tiros na tarde desta terça-feira (24) após ser mantido refém no Centro Administrativo Expedito Quirino Borges, sede da prefeitura da cidade.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS),Sidney Cavalcante (PT) foi rendido por um homem armado no fim da manhã desta terça-feira (24). O homem manteve o vice-prefeito refém por mais de duas horas em uma das salas do prédio.


Vice-prefeito é mantido refém em prédio da prefeitura de Choró (Foto: Choró News/ Divulgação)

Homem armado manteve vice-prefeito refém por mais de duas horas.
Suspeito foi encontrado morto após negociar liberdade do refém.

Policiais tentaram negociar a libertação do refém, mas encontrou os dois mortos dentro da sala. A hipótese é de que o homem armado tenha cometido suicídio. A Polícia Militar não descarta a possibilidade de crime passional.

Negociações

Ainda de acordo com a SSPDS, o prédio foi isolado pela Polícia Militar e equipes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foram enviadas ao local para conduzir as negociações. No início da tarde desta terça, policiais militares tentaram invadir a sala onde o vice-prefeito é mantido refém, mas recuaram após ouvirem oito disparos de armas de fogo. Segundo a PM, o homem atirou para impedir a entrada dos policiais, mas não feriu ninguém.

PORTALEGRE: PREFEITURA PUBLICOU EDITAL DE LICITAÇÃO DO 'BAR DA PRAÇA'



COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO  AVISO DE LICITAÇÃO  CONCORRÊNCIA Nº 002/2015

A Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura Municipal de Portalegre/RN.


Torna publico para conhecimento dos interessados que estará recebendo envelope de habilitação e de propostas de preços, cujo objeto e a CONCESSÃO ADMINSTRATIVA DE USO, onerosa, de bem imóvel do Município, PRÉDIO COMERCIAL, localizado na Praça Central “Vicente do Rego Filho”, neste Município de Portalegre/RN, com área total de 154,94m2, destinado à exploração de atividade econômica de gastronomia (bar, restaurante, lanchonete e similares), compostos QUIOSQUE, contendo 01 (uma) cozinha, 02 (dois) banheiros, sendo um feminino e banheiro masculino, adaptados para deficiente físico, localizado no Na praça central de Portalegre/RN.

Os envelope poderão ser entregues na Sala da Comissão Permanente de Licitação, localizado no prédio sede da Prefeitura Municipal de Portalegre/RN, sito a Rua Antônio de Freitas, 34 - Centro - CEP 59.810-000 - Portalegre/RN.

Até as 10h00min dia 27 de junho de 2014, nos do edital desta licitação na modalidade CONCORRENCIA de nº 002/2015.

Informações e aquisição do edital na sede da Prefeitura: Sala da Comissão Permanente de Licitação, localizado no prédio sede da Prefeitura Municipal de Portalegre/RN, sito a Rua Antônio de Freitas, 34 - Centro - CEP 59.810-000 - Portalegre/RN: (84) 3377-2196 de segunda a sexta, das 08h00 ao 12h00min.

Portalegre/RN, 20 de Novembro de 2015 – Eglimar Carlos Pereira – Presidente da CPL.

Publicado por: RAILHES MACIEL BARBOZA LUCENA Código Identificador: 73B37DEE

* Um pouco mais de cuidado com a digitação e com a redação, afinal é um documento público.

Fonte : Sertão Potiguar.



.........................................................................................................................................................................................................................
.


Excelente localização, ruas pavimentadas, próximo a Creche, medindo 8,30 por 28 metros.

Rua Francisco Rodrigues de Freitas, ao lado da casa de Raimundo do grupo. Documentação em dia e com Escritura Pública.

Portalegre/RN - 9 9934-0456

21/10/2015

TURISMO

Reunião do grupo Circuito das Serras em Portalegre/RN


Sucesso, essa é a palavra que define o Encontro dos membros do grupo Circuito das Serras Potiguares que foi realizado na noite desta terça-feira, 20, na cidade de Portalegre/RN. 



A reunião coordenada pela colunista Soraya Vieira e pelo professor Gilton Sampaio, contou com a presença do secretário de Turismo do RN, Ruy Gaspar, além de prefeitos, vereadores, imprensa, empresários e de representantes de várias cidades inseridas no projeto que tem por objetivo divulgar as belezas, a história, a cultura e o turismo da região do Alto Oeste Potiguar.
Após a reunião, foi servido um jantar de confraternização pelos anfitriões da noite, o prefeito de Portalegre Neto da Emater, primeira-dama Wagna e o vereador Afrânio.

Confira os cliques do Fotógrafo Franskin Leite:















Fonte: Blog de Clístenes Carlos

16/10/2015

REDE OESTE - VOCÊ PODE SAIR DE CARRO 0Km



CONVIDAMOS TODOS VOCÊS PARA SER CLIENTE REDE OESTE...

AQUI TEMOS;

PROMOÇÕES todo meses com preços imbatíveis

MELHOR variedade da cidade

AÇOUGUE completo

PANIFICADORA com pães fresquinhos duas vezes ao dia


FRUTAS E VERDURA com a maior variedade e melhor preço


DIET E LIGT com uma linha completa


ESPAÇO amplo para você ficar a vontade


E AINDA TEMOS SETORES de brinquedo, bebidas, lacticínio, infantil e muito mais esperando por você...


TUDO ISSO E VOCÊ AINDA PODE SAIR DE CARRO 0KM...


11/10/2015

UERN oferta curso de capacitação em Portalegre-RN



No mês de setembro de 2015 a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte –UERN ofertou um Curso de capacitação para agentes ambientais/guias locais para Portalegre-RN, para alunos da Rede de Ensino Estadual e Municipal.

O Curso teve como objetivo geral qualificar os alunos para serem capazes de receber e conduzir visitantes e turistas, orientando-os sobre pontos turísticos considerando seus atrativos, serviços e equipamentos por meio da exposição de conteúdo teórico e prático de suporte para a formação de agentes ambientais/guias locais, especificando conteúdos correlatos com os pontos turísticos da Mata da Bica e da Cachoeira do Pinga.

O município de Portalegre está em processo de criação da Unidade de Conservação “Mata da Bica de Portalegre”, e projeto como esse contribui de forma significativa.

Parabenizo o Professor Rodrigo Guimarães pelo projeto “Contribuições ao Planejamento urbano, ambiental e turístico dos municípios de Portalegre e Martins/RN” e pelo excelente trabalho realizado em Portalegre, aos seus alunos do Curso de Gestão Ambiental: Lizandra Evylyn; Adrienne Reis; Dayane Medeiros e toda equipe. - Fonte: https://plus.google.com/102793119711793976651/posts/KHUnVhJf582

Portalegre/RN dar um grande passo em direção à conservação ambiental


O município de Portalegre/RN deu um grande passo em direção à conservação ambiental com a proposta de criação da Unidade de Conservação (UC) “Mata da Bica de Portalegre”. Com essa iniciativa, o município terá a oportunidade de cumprir um papel fundamental no planejamento e ordenação territorial.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – IDEMA, através do Núcleo de Gestão de Unidades de Conservação - NUC, vem desenvolvendo atividades de incentivo a criação de unidades de conservação municipais, com o objetivo de conservar ambientes de grande relevância ecológica e paisagísticas de escala municipal, descentralizar a gestão desses espaços e assim elevar o percentual de áreas protegidas no Estado. E Portalegre está sendo contemplada com todo o apoio e diretrizes do NUC, representado pela Bióloga do setor, Natália Rodrigues.

A proposta vem sendo discutida entre representantes da Prefeitura e da sociedade civil, membros das Universidades: Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN e Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA, e técnicos do IDEMA. Outras mobilizações serão realizadas para que toda a sociedade tome conhecimento e participe de todo o processo de criação.

Os estudos para criação da UC foi disponibilizado pelo Professor Adjunto da UERN, Rodrigo Guimarães, o qual está tendo participação ativa em todo processo. A delimitação e definição da categoria ainda não foram definidas. Porém, estudos indicam que a Unidade fará parte do grupo de Uso Sustentável, na categoria ARIE – Área de Relevante Interesse Ecológico. - Fonte: 

O município de Portalegre/RN deu um grande passo em direção à conservação ambiental com a proposta de criação da Unidade de Conservação (UC) “Mata da Bica de Portalegre”. Com essa iniciativa, o município terá a oportunidade de cumprir um papel fundamental no planejamento e ordenação territorial.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – IDEMA, através do Núcleo de Gestão de Unidades de Conservação - NUC, vem desenvolvendo atividades de incentivo a criação de unidades de conservação municipais, com o objetivo de conservar ambientes de grande relevância ecológica e paisagísticas de escala municipal, descentralizar a gestão desses espaços e assim elevar o percentual de áreas protegidas no Estado. E Portalegre está sendo contemplada com todo o apoio e diretrizes do NUC, representado pela Bióloga do setor, Natália Rodrigues.

A proposta vem sendo discutida entre representantes da Prefeitura e da sociedade civil, membros das Universidades: Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN e Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA, e técnicos do IDEMA. Outras mobilizações serão realizadas para que toda a sociedade tome conhecimento e participe de todo o processo de criação.

Os estudos para criação da UC foi disponibilizado pelo Professor Adjunto da UERN, Rodrigo Guimarães, o qual está tendo participação ativa em todo processo. A delimitação e definição da categoria ainda não foram definidas. Porém, estudos indicam que a Unidade fará parte do grupo de Uso Sustentável, na categoria ARIE – Área de Relevante Interesse Ecológico. -Fonte: https://plus.google.com/102793119711793976651/posts

27/09/2015

Mirante Boa Vista



MIRANTE BOA VISTA

Portalegre/RN

Um dos atrativos turísticos público mais visitado.
Tive o prazer de ser o primeiro administrador.

Mantamos uma infraestrutura totalmente diferenciada há mais de 10 anos.
Promovemos grandes e importantes eventos, e recebemos turistas de vários países.

Atualmente está fechado, o que nos deixa muito sentido.
Essa semana as obras de reformas foram reiniciadas.

Esperamos contar com a boa vontade e empenho dos gestores locais para que esse espaço volte a funcionar o mais breve possível.

Mesmo fechado, o espaço recebe visitantes todos os dias.

Entendemos que o Mirante Boa Vista fechado trás um enorme prejuízo para o nosso município.
Segundo informações, mais de R$ 250 mil serão investidos em mais essa reforma.

Vamos aguardar.

23/09/2015

REUNIÃO PARA DISCUTIR LICENÇA PRÊMIO

CONVITE - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA - SINTE/PORTALEGRE/RN




A coordenação do SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA - SINTE/PORTALEGRE/RN, na livre iniciativa e no pluralismo de manutenção dos direitos trabalhistas baseado nas negociações coletiva. Convida todos os funcionários efetivos da Prefeitura de Portalegre, Professores, pessoal de Secretaria, apoio Pedagógico, porteiro ASD, Merendeiras, motoristas, Gari, Vigilantes, à participarem de uma reunião terça feira, dia 29 de setembro, às 7h30h, na sede do Salão Paroquial à Rua Damião Monteiro de Souza.

Teremos como objetivo debater a regulamentação da Licença Prêmio para os Servidores Públicos Municipais, assegurado na Lei Orgânica desde o ano de 2012, que seja garantido a concessão pelo poder executivo na Lei 181/2007 atual Regime Juríco Único do Servidores Públicos Municipais, até o final do ano em curso (dezembro/2015).

TERMOS A PRESENÇA DOS REPRESENTANTE DO(A):

- SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DOS MUNICÍPIOS DE PORTALEGRE E VIÇOSA -SINDSPMPOVI

- SINDICATO DOS AGENTES DE SAÚDE - SINDAS;

- PRESIDENTA DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES - CUT/RN

- COORDENADOR GERAL DO SINTE/RN ESTADUAL 

Contamos com a sua presença.

Núcleo do SINTE/Portalegre-RN
Professor: Elismar Bezerra

Coordenador